segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Como fazer monitoramento nas mídias sociais

Numa estratégia de marketing, de nada adianda estar nas mídias sociais sem ao menos fazer um monitoramento nelas. O ato de monitorar sua marca ou sua empresa ajuda a ter uma noção da repercussão do que você está fazendo nas redes. Para isto a solução é simples e um pouco óbvia: usar ferramentas frequentemente! Em sua grande maioria, são simples e gratuitas. Eis algumas delas:

Vale a pena conferir!

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Vinhos: Rolha e conservação

Rolha e conservação
Porque devemos armazenar os vinhos na posição horizontal da garrafa? Porque a rolha é fator determinante para a conservação de um vinho? Respondendo ao mesmo tempo estas duas perguntas: Coloca-se a garrafa do vinho na posição horizontal para que a rolhas de cortiça fiquem umedecidas e com isso as dilatem. Quanto maior esta dilatação, maior a vedação da garrafa. Quanto maior a vedação de uma garrafa, maior é a probabilidade de uma boa conservação. O ressecamento da rolha poderá provocar a oxidação do vinho. É válido ressaltar que alguns vinhos conservados há muitos anos, mesmo que bem vedados, podem não evoluir (amadurecer através de envelhecimento) muito bem, pois a evolução também está relacionada com a qualidade do vinho e possíveis danos (sejam sonoros, provocados por luz ou temperatura).

Doença-da-rolha
A maioria das rolhas é feita de cortiça, que tem grande poder de vedação, boa elasticidade e resistência. A tampa de alumínio com rosca e a rolha sintética são opções menos antigas no mercado da bebida, porém a última demanda um pouco mais de trabalho na hora de desenrolhar – recoloca-la na garrafa também é mais difícil. A grande vantagem dessas soluções mais modernas em relação à cortiça é extinguir a possibilidade de a bebida ser afetada pela chamada “doença-da-rolha” ou bouchonné, notada somente após a abertura da garrafa. Os vinhos afetados por ela contêm tricloroanisol, produto da ação de um fungo presente na cortiça da rolha.

Fonte: https://docs.google.com/open?id=0B4AFicEqZRjsem1zNGdIUEVNLXc

domingo, 2 de janeiro de 2011

Vinhos: tempo de vida e temperatura

Tempo de vida
Depois da abertura de uma garrafa, o contato do oxigênio com o vinho desencadeia um processo de deterioração da bebida. Uma maneira de fazer com que o vinho dure mais uns dias é tirar todo o ar da garrafa antes de colocar a rolha. Nas lojas especializadas você encontra uma bombinha conhecida como wine air-vac, que cumpre essa função. Uma vez aberta, a garrafa deve ser guardada em uma adega climatizada ou na geladeira, por, no máximo, sete dias. No caso dos vinhos tintos, retire-a da geladeira duas horas antes do consumo.

Temperatura
Bom lembrar que os tintos são concebidos para degustação à temperatura ambiente da Europa, não no Brasil. Se o tinto estiver gelado demais, o tanino e a acidez se acentuam. Se tiver quente, o álcool e o açúcar se acentuam. As temperaturas para servir o vinho variam. O espumante doce deve estar entre 7 ºC e .8 ºC, enquanto o espumante brut, de 6 ºC a 8ºC. Os vinhos brancos suaves vão à mesa entre 8ºC e 9ºC e, os secos, de 12 ºC a 14 ºC. Temperaturas de 12 ºC a 15 ºC são ideais para os tintos leves. Os mais tânicos podem variar entre 16 ºC e 18 ºC.

Fonte: https://docs.google.com/open?id=0B4AFicEqZRjsem1zNGdIUEVNLXc

Dois textos pequenos que me fizeram refletir sobre qualidade de vida. Os textos são de Jorge Luis Borges e Bryan Dyson.

O objetivo desse post é compartilhar dois textos bem interessante, que certamente o levará a refletir sobre sua qualidade de vida. Os textos...