segunda-feira, 4 de abril de 2022

Você sabe quais são as características técnicas e comportamentais de um arquiteto de software?

No post anterior, eu falei sobre as responsabilidades de um arquiteto de software.

Agora, você sabe quais são as características técnicas de um arquitero de software? (hard skills)

1) Sólido e profundo conhecimento em programação (escrita de código, qualidade, componentização, clean code, etc)

2) Ter forte conhecimento de pelo uma plataforma de desenvolvimento em conjunto com suas ferramentas, frameworks e modelagem (arquitetura de solução, visão macro de uma solução, classes, etc)

3) Ter amplo leque de padrões, soluções e abordagens para solucionar problemas;

4) Conhecer técnicas de bom design e qualidade de código-fonte, que contribua com legibilidade, manutenabilidade e testabilidade. (princípios SOLID, padrões de projetos, clean code, etc)


É válido lembrar que um arquiteto de software também precisa ter requisitos pesssoais, o  que chamamos de "soft skills".  Sabendo das responsabilidades e das características de um arquiteto de sofware, não faz sentido sem antes ter :

1) Liderança. Se o arquiteto não conseguir exercer um espírito de liderança, terá dificuldades na sua atuação perante à equipe. Além disso, é importante que tenha capacidade de dividir e delegar tarefas.

2) Comunicação. É importante ser compreendido, diante os liderados e dos respectivos gestores. Exercer o papel de arquiteto de software envolve ensinar, orientar, direcionar, defender pontos de vista seu e dos demais membros, saber questionar adequadamente, etc. E tudo isso, exige uma boa comunicação (suave, clara, didática, objetiva, inspiradora) a ponto de ter bom desempenho na condução de discussões e saber conversar com profissionais de nível hierárquico bem superior.

3) Iniciativa para se antecipar aos problemas, ou seja, Proatividade. Para isso, é necessário ter a coragem de sugerir algo antes que o pior aconteça.

4) Saber ouvir e ter humildade. Um skill importante para o arquiteto de software é ter a capacidade de ouvir a opinião dos outros e sempre exercer a humildade, não apenas porque sabemos que sempre estamos aptos a aprender/melhorar ou maduros para reconhecimento de falhas (erros de decisão sua ou da equipe), mas também porque sabemos que o time também pode sugerir algo que seja tão brilhante (ou até mais) quanto a sugestão do arquiteto.

5) Estar atualizado, buscando constante estudo/pesquisa, uma vez que sempre estão surgindo novas abordagens, filosofias, etc. Além disso, a equipe pode estar tecnicamente bem atualizada e o arquiteto precisar estar ao  menos sontonizado com os novos conceitos e estar aberto às novas tecnologias;

6) Equilíbrio nas tomadas de decisões, sendo ponderado e nunca precipitado;

Você sabe quais são as responsabilidades de um arquiteto de software?

Você sabe quais são as responsabilidades de um arquiteto de software?

1) Responsável pela qualidade técnica do que se está entregando.

2) Desenhar/projetar uma solução compatível com os recursos e requisitos atuais da empresa, e que esses desenhos/projetos tenham flexibilidade suficiente para comportar mudanças futuras e/ou novos requisitos.

3) Apoiar tecnicamente a equipe, formando novos sucessores e evoluindo o nível de cada dev.

4) Apoiar na fluidez da comunicação entre as pessoas do time, inclusive incentivando sempre o envolvimento do time nas decisões;

5) Apoiar a equipe na tomada e direcionamento das decisões técnicas necessárias;


quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

HSBS, empresa do Grupo Nagem, celebra 25 anos e mira no mercado internacional

HSBS Informática, empresa do Grupo Nagem, celebra, neste mês de dezembro, 25 anos de atuação. Mira agora o mercado internacional. De acordo com os sócios, nos últimos três anos, a empresa obteve crescimento de 210% e registra clientes espalhados por 23 cidades.

Além de mirar o mercado internacional, a empresa tem como objetivo a adequação ao cenário de trabalho híbrido, ampliando a segurança, mobilidade e produtividade e expandir os serviços de Segurança da Informação, Governança e Compliance.

  • Compliance, com foco em LGPD, Gestão de ativos de software e Governança de TI;
  • Cloud Datacenter, com implantação suporte e monitoramento de datacenter local, multinuvem e híbrido e realização de projetos de migração para a Nuvem;
  • Cloud Produtividade para implantação, monitoramento e suporte da plataforma Microsoft365, inclusive com apoio, desenvolvimento e execução de projetos de automação e transformação digital utilizando a ferramenta da Microsoft.
  • Segurança da Informação para análise, otimização e implantação de medidas de segurança da informação para proteção dos dados das empresas, e também apoio na implantação de uma cultura de segurança através dos treinamentos de usuários;
  • Backup para proteção dos dados da empresa e auditoria para garantir a recuperação dos dados e a continuidade do negócio em caso de ataques de segurança ou perda de dados;
  • Atendimento e Suporte com profissionais técnicos multidisciplinares e especialistas em diversas áreas da Tecnologia da Informação para entregar os melhores projetos.

Fonte: Hamilton Nogueira - https://www.opovo.com.br/noticias/tecnologia/opovotecnologia/2021/12/13/empresa-do-grupo-nagem-celebra-25-anos-e-mira-no-mercado-internacional.html


quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

CIn-UFPE é pioneiro em cursos no formato de Residência em Software



Surgidos no Centro de Informática da UFPE, os cursos de Residência tornaram-se referência para diversas instituições


O Centro de Informática (CIn) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) destaca-se por suas iniciativas inovadoras em ensino, pesquisa, extensão e cooperação. Com valores sólidos baseados na relevância, referência, irreverência e liderança, o CIn-UFPE está constantemente na vanguarda de práticas que transformam o ecossistema de tecnologia da informação do estado e do país.

Neste sentido, há quase 20 anos, em 2002, o Centro de Informática lançava o seu primeiro curso de Residência em Software em parceria com a Motorola, inaugurando o conceito de curso de imersão, que hoje é referência e aplicado em diversas instituições de ensino e inovação.

Desenvolvidos no CIn-UFPE, os cursos de residência funcionam unindo teoria e prática para um ensino completo e imersivo. Inspirado na residência médica, os alunos assistem aulas em um turno e no outro trabalham resolvendo problemas reais de empresas parceiras, gerando soluções numa parceria em que todos ganham. Para que seja possível a dedicação exclusiva ao programa, os alunos recebem uma bolsa de estudos.


Hoje, o CIn-UFPE conta com cinco programas de residência ativos:
 

  • Engenharia de Software com foco em testes, em parceria com a Motorola;
  • Robótica, em parceria com a Softex;
  • Engenharia de Software, em parceria com a Emprel;
  • Inteligência Artificial com foco em Visão Computacional, em parceria com a Samsung-SiDi;
  • Inteligência Artificial com foco em Engenharia e Ciência de Dados, em parceria com a Samsung-SiDi.


Todos os cursos de residência do CIn-UFPE têm validade de uma pós-graduação lato sensu, especialização, e seguem o modelo de Residência em Software ganhador do Prêmio Dorgival Brandão Júnior da Qualidade e Produtividade em Software, promovido pelo MCT/SEPIN/PBQP-SW. O seu objetivo principal é incentivar a formação de recursos humanos com alto grau de especialização.

Referência: com o sucesso dos programas, diversas instituições de ensino e inovação adotaram o formato de residência para a formação de profissionais altamente qualificados. Hoje, o CESAR, o Porto Digital, a Avanade, o Governo de PE, a Qualiti/Pitang, são algumas instituições que apostam no modelo que surgiu no Centro de Informática e que até hoje forma uma mão-de-obra especializada que traz excelentes profissionais para as empresas e para a região.


Fonte: Assessoria de Comunicação do CIn - UFPE

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Dois textos pequenos que me fizeram refletir sobre qualidade de vida. Os textos são de Jorge Luis Borges e Bryan Dyson.

O objetivo desse post é compartilhar dois textos bem interessante, que certamente o levará a refletir sobre sua qualidade de vida. Os textos são de Jorge Luis Borges e Bryan Dyson.

Tentei encontrar alguma matéria que provasse a veracidade da autoria, mas não encontrei. Estão relacionados com a tentativa de encontrar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Veja o que Bryan Dyson, ex-presidente mundial da Coca Cola, disse ao deixar o cargo:
"Imagine a vida como um jogo em que você esteja fazendo malabarismos com cinco bolas no ar. Estas são: seu Trabalho - sua Família - sua Saúde - seus Amigos e sua Vida Espiritual, e você terá de mantê-las todas no ar.
Logo você vai perceber que o Trabalho é como uma bola de borracha. Se soltá-la, ela rebate e volta. Mas as outras quatro bolas: Família, Saúde, Amigos e Espírito, são frágeis como vidros. Se você soltar qualquer uma destas, ela ficará irremediavelmente lascada, marcada, com arranhões, ou mesmo quebradas, vale dizer, nunca mais será a mesma.
Deve entender isto: tem que apreciar e esforçar para conseguir cuidar do mais valioso. Trabalhe eficientemente no horário regular do escritório. Gaste o tempo requerido à tua família e aos seus amigos. Faça exercício, coma e descanse adequadamente. E sobretudo... cresça na sua vida interior, no espiritual, que é o mais transcendental, porque é eterno.
Shakespeare dizia: "Sempre me sinto feliz, sabes por quê? Porque não espero nada de ninguém. Esperar sempre dói. Os problemas não são eternos, sempre têm solução. O único que não se resolve é a morte. A vida é curta, por isso, ame-a! Viva intensamente e recorde: Antes de falar... Escute!  Antes de escrever... Pense!  Antes de criticar... Examine! Antes de ferir... Sinta! Antes de orar... Perdoe! Antes de gastar... Ganhe! Antes de render... Tente de novo! ANTES DE MORRER... VIVA!”

O texto a seguir é do argentino Jorge Luis Borges foi escritor, poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta. Nesse, é possível fazer algumas reflexões sobre maior e melhor aproveitamento da vida.

"Se eu puder viver novamente a minha vida, na próxima trataria de cometer mais erros. Não tentaria ser perfeito. Relaxaria mais. Seria mais tolo ainda do que tenho sido. Na verdade, bem poucas coisas levaria a sério. Seria até menos higiênico. Correria mais riscos, viajaria mais, contemplaria mais entardeceres, subiria mais montanhas, nadaria mais rios. Iria para lugares onde nunca fui, tomaria mais sorvete e menos sopa. Teria mais problemas reais e menos problemas imaginários.
Eu fui uma desta pessoas que viveu sensata e produtivamente cada minuto de sua vida. Eu era uma destas pessoas que nunca ia a parte alguma sem um termômetro, uma bolsa de água quente, um guarda-chuva e um pára-quedas. Se voltasse a viver, viajaria mais leve. Se eu pudesse voltar a viver, começaria a andar descalço no começo da primavera e continuaria assim até o fim do outono. Daria mais voltas na minha rua, contemplaria mais amanheceres e brincaria com mais crianças, se tivesse outra vez uma vida pela frente. Mas, já viram, tenho 85 anos e sei que estou morrendo...”
(Jorge Luis Borges)




terça-feira, 1 de novembro de 2016

X++ hello world!

Crie um job e escreva o código abaixo:

static void HelloWorldPrint(Args _args)
{
    // Hello World. Imprime texto na tela, mostrando o dia de hoje.
    Date data;
    str texto;
    ;
    data = today();
    texto = strfmt("Hello world! Hoje é %1", data);
    print texto;
    pause;
}


Crie um job e escreva o código abaixo:

static void HelloWorldConsultaClientes(Args _args)
{
    // Hello World. Lista o primeiro cliente do banco de dados.

    CustTable custTable;
    ;
    while select firstOnly AccountNum,Name,Address from custTable
    {
        info(strfmt("Código %1 | Nome %2 | Endereço %3",
            custTable.AccountNum,
            custTable.Name,
            custTable.Address));
    }
}


Crie um job e escreva o código abaixo:

static void HelloWorldBoxes(Args _args)
{
    Dialogbutton db;
    ;
    db = box::yesNoCancel("Escolha Yes, No or Cancel.", dialogButton::Yes, "Example");
    if (db == dialogButton::Yes)
    {
        // Mostrando uma MessageBox.
        box::info("We chose Yes");
    }
    else if (db == dialogButton::No)
    {
        // Mostrando uma janela com Log de Informações.
        error( "We chose No (error icon)");
        warning( "We chose No (warning icon)");
        info( "We chose No (info icon)");
    }
    else if (db == dialogButton::Cancel)
    {
        // O código abaixo irá parar a execução.
        throw error("Levantando uma exception.");
    }
}

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Qual repositório privado online você vai usar: BitBucket ou VisualStudio.com?

Você vai desenvolvendo suas aplicações sem controle de versão e ainda faz backup de tudo em alguma unidade externa de armazenamento. E se você precisar utilizar mais de um computador para trabalhar nos seus projetos? E se acontecer algo com seu computador e ao mesmo tempo acontecer algo com seu backup? E se você estiver precisando de uma versão antiga do arquivo que está trabalhando? Uma solução simples para isso seria armazenar seus projetos em algum repositório online de arquivos sem que outras pessoas possam baixar o seu código-fonte. Imediatamente, a gente pensa no GitHubCodePlex ou Source Forge, que permitem armazenar projetos na nuvem, porém com visibilidade pública dos fontes. O GitHub tem o recurso de visibilidade privada (onde você decide quem pode baixar) mas requer que você pague por isso. Para alguns, esse investimento financeiro pode ser inviável. Diante deste cenário, existem duas soluções muito boas e gratuitas que permitem armazenar seus projetos com visibilidade privada. São elas: BitBucket.org e VisualStudio.com. Já usei as duas ferramentas e posso afirmar que ambas funcionam muito bem. Elas ainda possibilitam utilizar outras formas de versionamento: o BitBucket permite utilizar Git ou Mercurial, enquanto que o VisualStudio.com permite utilizar Git ou TFS (Team Foundation Server). Esses dois serviços possuem planos gratuitos para projetos privados. Você só começaria a pagar pelos serviços caso o número de usuários fosse superior a cinco. Confesso que gosto muito das soluções da Microsoft, porém a de convir que o TFS vem ganhando espaço nas empresas, como ferramenta de controle de versão. O mais interessante é que muitas pessoas podem pensar de imediato que o TFS só poderia ser utilizado pelas próprias ferramentas da Microsoft, porém é um engano. É possível utilizar o TFS pelo Eclipse, por exemplo. Fique esperto: armazene seus projetos na nuvem e aproveite gratuitamente esses excelentes serviços. Vale a pena.

Você sabe quais são as características técnicas e comportamentais de um arquiteto de software?

No post anterior, eu falei sobre as responsabilidades de um arquiteto de software. Agora, você sabe quais são as características técnicas de...