quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

A importância do fracasso

Texto interessante de Murilo Gun


17 de dezembro de 1997 fui entrevistado pelo Jô Soares (porque eu havia criado um portal que ganhou o prêmio iBest de melhor site pessoal do Brasil.)
17 anos depois...
17 de dezembro de 2014 vou ser entrevistado novamente(dessa vez para falar da minha experiência morando na NASA, no Vale do Silício)Hoje à noite, depois do Jornal da Globo!
A propósito, esses dois fatos (iBest e NASA) tem uma coisa em comum com criatividade: fracasso.Deixa eu explicar...
Quando eu tinha 12 anos, ganhei do meu pai um computador. Hoje em dia, as crianças ganham bem mais cedo, mas na época (1995) computador era algo caro e restrito, e normalmente pertencia ao pai, enquanto que a criança tinha acesso esporádico a alguns "diretórios" específicos e não poderia colocar disquetes para não pegar vírus.
No meu caso, não. O computadora era meu. Eu tinha liberdade total para explorar, experimentar e principalmente errar. A cada dois meses, tinha que levar o computador na assistência pra tirar vírus ou resolver algum problema no Windows 3.11
Meu pai não me deu apenas um computador. Ele me meu também o direito de fracassar.E isso fez toda a diferença no desenvolvimento da minha criatividade .
Esse "direito de fracassar" é algo muito forte no Vale do Silício. Na cultura de lá, se um empreendedor tiver quebrado cinco startups (desde que tenha sido por motivos diferentes e sem desonestidade), ele tem um ótimo currículo. Aqui no Brasil, ele seria a vergonha da família.
Nossa cultura vê o fracasso como derrota. Lá no Vale, o fracasso é visto como aprendizagem.E isso faz toda a diferença no desenvolvimento da criatividade.
Criatividade é um processo de tentativa-e-erro. Se você não tem o direito de errar, você não tenta.